Bem-vindos / Welcome

These are my Harry Potter FanFictions, I hope you enjoy them. If you would like to read the English versions, feel free to visit this link.

.Written HP FanFics

.The Last Warning
.Salazar's Inherance Trilogy
...Nerissa Gaunt
...The Forgotten
...Redemption
.I Will Be Missing You
.Left Behind
.The Resignation of Regulus Black
.Hidden Truth
.The Bad-Boy Syndrome
.Prayer of the Refugee

.posts recentes

. Left Behind (One-shot)

. Reborn from the ashes (Ph...

. "Nerissa Gaunt" - Chap 31

. "Nerissa Gaunt" - Chap 30

. "Nerissa Gaunt" - Chap 29

. "Nerissa Gaunt" - Chap 28

. "Nerissa Gaunt" - Chap 27

. "Nerissa Gaunt" - Chap 26

. Two out of Three Things.

. "Nerissa Gaunt" - Chap 25

. "Nerissa Gaunt" - Chap 24

. "Nerissa Gaunt" - Chap 23

. Not Fic, but Fun !

. "Nerissa Gaunt" - Chap 22

. "Nerissa Gaunt" - Chap 21

. "Nerissa Gaunt" - Chap 20

. "Nerissa Gaunt" - Chap 19

. PLIM ! (ou Puff?)

. "Nerissa Gaunt" - Chap 18

. "Nerissa Gaunt" - Chap 17

.Posts mais comentados

.a ser publicada

Photobucket

Segunda-feira, 13 de Julho de 2009

"Nerissa Gaunt" - Chap 17

 

Salazar's Inherance Trilogy 

Nerissa Gaunt
Capitulo Décimo Sétimo
 
 
“Aconteceu alguma coisa ao meu pai?” Foi a única coisa que Nerissa conseguiu perguntar a Voldemort ao olhá-lo através das chamas verdes. Temia demasiado o que ele lhe fosse dizer… o facto de a estar a contactar de uma forma tão arriscada podia querer dizer que se tratava de uma urgência… e de facto, apesar de tudo, Nerissa temia bastante perder o pai que era já de idade tão avançada.
 
“Não, minha bela Nerissa,” Reconfortou-a Voldemort com o seu tom frio e esquivo, já tão característico dele. Os seus olhos, que agora ardiam em chamas verdes, estavam cheios de interesse perfurando a rapariga, “Descansa. O teu pai está bastante bem, aliás… Não tens com o que te preocupar.”
 
“Então porque me contactas assim?” Perguntou ela a medo, levantando-se finalmente do sofá para se dirigir as chamas frias, ao aperceber-se que continuava demasiado próxima de Severus, “É perigoso, pode denunciar-nos…”
 
“Nada temas, ninguém nos interromperá.” Voldemort disse-lhe simplesmente, olhando pela primeira vez para Severus, e lançando-lhe um olhar cortante.
 
Para tentar salvaguardar o rapaz de um confronto desagradável com o homem, Nerissa decidiu tomar a palavra, esperando ardentemente que ele seguisse a sua deixa e saísse daquela divisão, “O Severus estava já de saída…”
 
“Não, não, de modo algum. Ele pode ficar.” Interrompeu-a depressa Voldemort com um sorriso estranho que lhe distorcia as feições, continuando depois com um tom desafiante, E digo isto no sentido permanente, minha bela. Se tu e Severus desejarem, ele poderá juntar-se a nós… Disse-lhe isso no inicio do ano passado, suponho que ele não se tenha esquecido.”
 
O rapaz tomou pela primeira vez a palavra, algo vacilante, avançando para a lareira também, “Não me esqueci… Mestre.”
 
Havia-se feito luz dentro da mente de Severus. O rapaz apercebeu-se que se se juntasse aos Aprendizes de Devoradores da Morte, o dito círculo de confiança de Voldemort, poderia estar a tempo inteiro ao lado de Nerissa sem ser questionado. Poderia ajudá-la, conforta-la e apoiá-la sempre que necessário… e jamais teria de abandoná-la.
 
“Nunca! Nem pensar!” Gritou Nerissa num impulso, demasiado assustada para se conseguir conter.
 
Não queria arrastar Severus consigo, essa sempre tinha sido a sua mais preciosa prioridade. Preservar o rapaz, mantê-lo a salvo, a uma boa distancia daquele pesadelo… mas agora ele parecia ter-se atirado de livre vontade para dentro do poço negro que era viver sendo controlado por Voldemort.
 
“Ele é demasiado novo…” Começou Nerissa a tentar arranjar argumentos que fizessem o homem reconsiderar o que havia dito. Os outros já sabem muito mais do que ele, estaria a atrasar-nos muitíssimo se viesse juntar-se a nós neste momento!”
 
A voz de Voldemort soou ainda mais fria e provocadora, como se soubesse exactamente a preocupação que ardia no peito da rapariga, “A decisão não é tua, minha Nerissa. É do rapaz.”
 
Os olhos negros assustados da rapariga voaram de imediato para Severus, implorando-lhe em silêncio que ele não cometesse tal loucura. Mas o rapaz estava fixo na figura ardente de Voldemort. Severus já tinha tomado a sua decisão, faria o que fosse preciso para não ter de abandonar Nerissa nem mais um dia.
 
“Estarei ao vosso lado… Minha Senhora.” Falou ele, com a voz a arranhar-lhe a garganta. Uma dor lancinante trespassou-lhe o peito por saber o sofrimento que estava provocar na rapariga que o olhava incrédula. Mas mesmo assim ele continuou, tratando-a como se ela fosse uma autêntica rainha, tentando imitar o comportamento de Lucius que ela havia descrito há tão pouco tempo, “Auxiliar-vos-ei em tudo o que estiver em meu alcance. E a seu tempo, quando eu estiver preparado, juntar-me-ei aos outros.”
 
“Vês, minha bela? O rapaz tem garra!…” Riu-se Voldemort novamente, fazendo Nerissa arrepiar-se enquanto o seu coração apertava demasiado. Sem parecer reparar que os olhos da rapariga se haviam enchido de lágrimas, o homem continuou, “Talvez Severus se possa juntar a ti quando outros o fizerem também.”
 
“De quem falas?!” Gaguejou Nerissa confusa e muito assustada ao mesmo tempo. Sabia dos planos que Voldemort tinha para recrutar novos aprendizes em Hogwrats, mas não contava que tal fosse acontecer brevemente… E recusava-se a aceitar que Severus estivesse entre eles.
 
Era sabido que Macnair, Crabbe, e Goyle completariam o sétimo ano de escolaridade e que no ano seguinte não regressariam a Hogwarts, mas Lucius, Alecto, Crouch Junior e Nott ainda estavam no sexto ano! Nerissa não só não precisava da companhia daqueles jovens loucos, como dispensava o ajuntamento de mais como eles!
 
“Chegámos ao assunto do qual eu te queria falar.” Soou grave a voz de Voldemort, fazendo os joelhos da rapariga estremecer. Um mau pressentimento assolou-a, “Surgiu uma excelente oportunidade para mim. Uma hipótese de viajar para a Albânia e conhecer mais sobre as nobres Artes Negras… Partirei ainda esta madrugada, e não sei quanto tempo estarei fora, mas calculo que sejam pelo menos dois anos…”
 
“Estarás dois anos afastado de nós?” Repetiu ela, só para ter a certeza que os seus ouvidos não a tinham enganado. Apesar de a distancia física não mudar nada na sua situação, Nerissa ficava aliviada só de pensar que passaria dois Verões sozinha com o seu pai, sem ter de suportar a presença constante de Voldemort.
 
“Sim, dois anos no mínimo, lamentavelmente…” Confirmou-lhe ele, avançando presumidamente, “Como entretanto em dois anos os nossos fiéis servos que tens em Hogwarts a teu lado finalizarão os seus estudos, ficarás sozinha. Para que tal não aconteça, minha adorada, venho agora comunicar-te uma nova lista de nomes… Jovens estudantes com os quais aconselho que te relaciones no futuro, e que provavelmente se juntarão a nós se assim desejares.”
 
A rapariga teve de engolir em seco para conseguir responder, a raiva e o ódio pulsavam fortes nas suas veias e faziam parecer a sua cabeça uma bomba prestes a explodir. “E quem são eles… os futuros Aprendizes?”
 
O desdém era nítido no olhar de Voldemort, os leus lábios curvavam-se ligeiramente num dos cantos, numa expressão divertida. Quando falou, limitou-se a ditar os nomes, e observar a reacção de Nerissa a cada um deles, “Rodolphus Lestrange e o seu irmão Rabastan. As três irmãs Black, Andromeda, Narcisa e Bellatrix. Matheus Mulciber. Raphael Ravenwood. Evans Rosier. E Augustus Avery.”
 
Enquanto a rapariga se manteve inexpressiva a todos os nomes, mesmo ao de Raphael Ravenwood, um rapaz do segundo ano que passava a vida a tentar conquistá-la, Severus agitou-se confuso.
 
De todos os nomes, aquele que menos compreendia era o de Avery, um grande amigo infância seu. Apesar de se ter afastado dele logo no primeiro ano em Hogwrats, continuava a conhecê-lo bastante bem e não compreendia como é que ele se poderia vir a integrar num grupo de revolucionários assassinos.
 
Sabendo que ousava demasiado, Severus arriscou perguntar, “Qual foi o seu critério de escolha, Mestre?”
 
“Ora, ora, meu caro Severus,” Riu-se Voldemort com desprezo, “Todos pertencem a famílias antigas, grandes entusiastas de Slytherin! Se chegarem a casa a dizer aos seus queridos pais que se juntaram a mim, haverão festejos, e manifestações de orgulho, e nunca proibições ou insultos…”
 
Depois, a figura ardente em chamas verdes voltou os seus olhos perturbadores para Nerissa, falando-lhe como se Severus não estivesse ali, “Estas famílias esperam pelo mesmo que eu e tu esperamos há tanto tempo, minha Nerissa… Querem que seja feita justiça no Mundo Mágico, que os sangues-de-lama, e os traidores de sangue sejam devolvidos à insignificância.”
 
“Farei como dizes…” Murmurou ela desgostosa, mantendo firme a máscara que montava nestas ocasiões. Continuou o seu discurso como se o seu coração não lhe implorasse que fugisse dali, “Aproximar-me-ei desses que nomeaste, e aos poucos tenho a certeza que se juntarão a nós.”
 
A voz de Voldemort resumiu-se a um murmúrio, cheio daquela estranha e perturbadora sedução com a qual ele gostava provocar Nerissa, “Não tenho qualquer dúvida, minha bela.”
 
A rapariga encolheu-se ligeiramente. O homem podia não estar ali diante dela fisicamente, mas a sua impertinência continuava a enjoá-la.
 
Depois Voldemort falou mais alto, agora despedindo-se de ambos com um tom bastante irónico e arrogante, “Lamento não poder continuar na vossa presença, mas tenho de me apressar. Ainda tenho muitos assuntos a tratar antes de partir. Contactar-vos-ei por carta quando me for oportuno e então dar-te-ei mais instruções, Nerissa… Até ao meu regresso.”
 
Os dois alunos nem sequer tiveram tempo para dizer o que quer que fosse, a figura verde ardente de Voldemort já tinha desaparecido, novamente num forte crepitar. Tão depressa como tinha aparecido, desapareceu, e as chamas verdes frias foram substituídas por outras vermelhas, laranjas e amarelas bem quentes.
 
Um silêncio estranho e muito pesado abateu-se sobre Severus e Nerissa. Demasiada coisa tinha acontecido naquela conversa com Voldemort. Muitas coisas que pareciam simples, complicaram-se exponencialmente e tornaram-se mais sombrias. Nem um, nem outro sabiam o que dizer. Estavam a sentir demasiados sentimentos ao mesmo tempo… demasiados sentimentos maus.

 

* * * 

Continua...

E este foi mais um capitulo. Vim postá-lo a correr, porque tenho de ir já trabalhar. Hoje posso ter começado mal o dia, mas estou num momento de particular bom humor e decidi vir aqui deixar-vos este presente x)

 

Loads of Kisses to All of You!

 
sinto-me: Na boa!... xD
música: The Cure - Boys Don't Cry

publicado por Dreamer às 19:18

link do post | comentar | favorito

8 comentários:
De Maggie Black a 13 de Julho de 2009 às 19:47
E lá vens tu aumentar o meu desespero para ver o HP6 xD


Passando à frente... para variar amei o capítulo e acho que estou rendida aos pés do Snape... LOL... (Só agora?!) xD Ele é tão amorosamente cavalheiro e preocupado com ela. ^^

Gosto cada vez mais a forma como trabalhas com os personagens e o enredo que até agora foi revelado e que aposto que melhorará.

Espero que o próximo capítulo venha tão rápido como este.

Maggie Black


De Sássára a 13 de Julho de 2009 às 22:13
O Severus juntou-se... Pobre Nerissa, nem sei como é que ela consegue aguentar isto tudo.

E acho que perdi um capítulo o.o

Adoro-te <3


De x Puky a 13 de Julho de 2009 às 23:15
Aiii, este Voldi --'
Não sabe deixar um casal em paz? Bem que gosta ele de fazer de velinha e castiçal xD


beijinho**


De Magda* a 13 de Julho de 2009 às 23:33


Finalmente postaste... Que saudades!! Estava tão curiosa...

A Nerissa da familia Trawnley?? Não estava a espera... Mas gostei!! :D

Aquele Voldemort tem sempre que estragar tudo... Bolas... --'

Coitadinha da Nerissa... :'(...

E o Severus?? Juntou-se a eles para a proteger... Ele é mesmo um quido!! *_*

Quero mais... Porque agora fiquei intrigada sobre a conversa que eles vão ter...

Please... I want more...

Beijinho*


De Eloise a 14 de Julho de 2009 às 21:35
Oh meu deus, a cada capítulo me surpreendo mais.
Para além de escreveres maravilhosamente bem e expressares tudo lindamente, o enredo é como eu já disse e tou a repetir, cativante e quando se espera que aconteça uma coisa, acontece outra! Parabéns por isso, really! *_*
ADOREI o capítulo, ele foi-se emboraaaa por uns tempos. É bom isso, por um lado, mas ele deixou seguidores. ugh! O Sev é tão fofinho em sujeitar-se a isso :D
beijinhoos Dreamer e espero que o trabalho corra bem pra postares o mais depressa possível :)


De Prongs a 14 de Julho de 2009 às 22:44
Que saudades :DD
OMG o tio Voldie vai sair de cena XDD
Tu escreves tão bem :)

beijinhos ^^
(e voltaram os meus comentários sem pés nem cabeça :b)


De KellysPimenta a 15 de Julho de 2009 às 10:30
olaaaaaa

o voldmort mete tanto nojo , coitada da nerissa..

o severus vai juntar -se a eles por causa de nerissa , so para a proteger...
kusses

e posta mais quando puderes


De spark a 21 de Julho de 2009 às 02:33
oh well , acho que me fico por aqui . com muita pena porque agora tou com a pica toda para ler ! >,<
xD
tá fantastico , como sempre .
kz.


Comentar post

Dreamer @ 23-02-2009
Photobucket
online

.Dreamer

.links

.Maio 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

23
24
25
26
28

29
30
31


.tags

. todas as tags

free counters

.arquivos

. Maio 2011

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

.subscrever feeds