Bem-vindos / Welcome

These are my Harry Potter FanFictions, I hope you enjoy them. If you would like to read the English versions, feel free to visit this link.

.Written HP FanFics

.The Last Warning
.Salazar's Inherance Trilogy
...Nerissa Gaunt
...The Forgotten
...Redemption
.I Will Be Missing You
.Left Behind
.The Resignation of Regulus Black
.Hidden Truth
.The Bad-Boy Syndrome
.Prayer of the Refugee

.posts recentes

. Left Behind (One-shot)

. Reborn from the ashes (Ph...

. "Nerissa Gaunt" - Chap 31

. "Nerissa Gaunt" - Chap 30

. "Nerissa Gaunt" - Chap 29

. "Nerissa Gaunt" - Chap 28

. "Nerissa Gaunt" - Chap 27

. "Nerissa Gaunt" - Chap 26

. Two out of Three Things.

. "Nerissa Gaunt" - Chap 25

. "Nerissa Gaunt" - Chap 24

. "Nerissa Gaunt" - Chap 23

. Not Fic, but Fun !

. "Nerissa Gaunt" - Chap 22

. "Nerissa Gaunt" - Chap 21

. "Nerissa Gaunt" - Chap 20

. "Nerissa Gaunt" - Chap 19

. PLIM ! (ou Puff?)

. "Nerissa Gaunt" - Chap 18

. "Nerissa Gaunt" - Chap 17

.Posts mais comentados

.a ser publicada

Photobucket

Terça-feira, 25 de Agosto de 2009

"Nerissa Gaunt" - Chap 31

 

Salazar's Inherance Trilogy 

Nerissa Gaunt
Capitulo Trigésimo Primeiro

 

 

A noite trouxe consigo a acalmia. Pela primeira vez em uma semana a fortíssima tempestade amainava, e o castelo de Hogwarts foi emerso num silêncio estranho e perturbador, ao qual os seus ocupantes já não estavam habituados. Esse silêncio pesava mais nos ouvidos dos estudantes do que haviam feito o bruto vento incessante, e as pesadas gotas de chuva que este projectava contra as paredes de pedra. Apesar de desconfortáveis, todos os estudantes jubilavam: com o final da tempestade, a visita do dia seguinte a Hogsmeade não seria cancelada.
 
Para não correrem o risco de arranjar problemas que os colocassem de castigo no dia seguinte, todos os alunos na Sala Comum dos Slytherin tinham ido para a cama mais cedo… Todos, excepto onze deles, que se reuniam agora em torno da lareira, a sua única fonte de luz.
 
Aquela era a primeira reunião dos Aprendizes de Devorador da Morte daquele ano, pelo que não havia os habituais cochichos entre Aprendizes. Todos estavam calados e bastante atentos ao que Nerissa, sentada no único sofá individual, tinha para lhes dizer.
 
Sentado no braço direito do sofá individual, sempre próximo de Nerissa, estava Severus, no lugar que mais ninguém se atrevia a ocupar. Os outros Aprendizes espremeram-se para tentar caber no sofá mais largo. Era lá que estavam sentados Narcisa, Mulciber, Rabastan, Rodolphus, e ao colo deste último estava sentada Bellatrix. Ocupando o seu lugar no chão estavam, Andromeda, Regulus e Raphael, que enviava constantemente olhares provocadores a Nerissa. Olhares esses que ela fazia questão de ignorar. Preferindo ficar de pé e de braços cruzados, Rosier havia permanecido atrás do sofá, com o seu um metro e oitenta de altura.
 
Nerissa sentiu um aperto na garganta antes de começar a falar. Diante dela estavam quase todos os Aprendizes que lhe tinham sido indicados por Voldemort à dois anos atrás. Só faltava mesmo o amigo de infância de Severus, Augustus Avery, que a jovem supunha que se fosse juntar a eles no ano seguinte, ao atingir a meta dos quinze anos.
 
Inspirando fundo, e sentindo o calor de Severus a seu lado, Nerissa começou a falar, usando o tom frio e seco que usava sempre com os Aprendizes, fazendo-os estremecer.
 
“Todos aqui já sabem que recebi uma carta do Senhor das Trevas esta manhã. Para além de me ter indicado os nomes dos três novos Aprendizes, já presentes nesta reunião, o nosso Mestre pediu-me que recomeçássemos o quanto antes os treinos suspensos desde o verão passado.”
 
Ouviram-se suspiros de entusiasmo entre os Aprendizes, e como já não poderia deixar de ser, um guincho histérico por parte de Bellatrix, que ostentava um olhar de felicidade completamente tresloucado.
 
Assim que Nerissa abriu a boca para continuar, o silêncio caiu novamente, “No entanto, trago-vos muito más noticias.”
 
Nenhum dos Aprendizes se atreveu a fazer um único som, Nerissa pôde reparar até que Andromeda e Regulus haviam sustido a sua respiração.
 
“Esta manhã faltei à aula de Poções porque o director, o professor Dumbledore, me chamou ao seu gabinete a fim de me pedir esclarecimentos sobre a Magia Negra que ele detectou na nossa escola nos últimos tempos… Ele pediu até a minha ajuda para ajudar a desvendar este mistério.” A voz de Nerissa falhou-lhe. Doía-lhe tanto recordar-se dessa conversa com Dumbledore. Discretamente, a mão de Severus deslizou para o ombro da jovem, transmitindo-lhe coragem.
 
“Ele sabe?” Rugiu Rodolphus com tamanha violência quase atirou Bellatriz para fora do seu colo, “O velho sabe alguma coisa sobre nós!?”
 
“Infelizmente, parece-me que sim.” Respondeu-lhe Nerissa, ignorando a rudeza de Rodolphus. Foi a grande custo que a jovem conseguiu manter a sua máscara de frieza, “Ele sabe que Magia Negra está a ser praticada em Hogwarts, mas ainda não sabe por quem, nem porque razão. O que não podemos dar-lhe agora é razões para que desconfie de nós…”
 
Rodolphus abriu a boca para resmungar algo novamente, mas Nerissa cortou-lhe a palavra, falando mais alto, “Já escrevi uma carta ao Senhor das Trevas expondo o problema e pedindo conselhos e indicação de uma solução. Para já recomendo que adiemos o primeiro treino até termos um local seguro para o fazer… Um sítio onde o professor Dumbledore não detecte o nosso uso de Magia Negra.”
 
“Não! NÃO! Nem pensar!” Choramingou Bellatrix no mesmo momento, liderando outros protestos rudes murmurados por Rodolphus, Rabastan e Mulciber.
 
“Tem de haver uma solução, Nerissa.” Interveio Rodolphus, tomando a liderança dos protestos, e recebendo acenos de incentivo por parte de Mulciber e Bellatrix, “Não vamos simplesmente ficar quietos quando o Senhor das Trevas nos disse para treinarmos!”
 
Para responder-lhe, Nerissa elevou o seu tom de voz, mostrando ao jovem quem liderava aquele grupo, “Preferes conduzir o Dumbledore direito até nós logo no primeiro treino? Preferes denunciar o que o Senhor das Trevas tem construído nos últimos anos em segredo e com tanto esforço, Rodolphus?!”
 
Um silêncio demasiado pesado caiu sobre o grupo. Não só Rodolphus, mas todos os Aprendizes sabiam que Nerissa tinha razão naquilo que dizia, e nenhum deles queria desapontar o Senhor das Trevas.
 
Inesperadamente, foi a voz grave e controlada de Rosier que interrompeu o silêncio. “O Dumbledore só consegue detectar o uso de Magia Negra dentro de Hogwarts?”
 
“Dúvido.” Respondeu Nerissa surpresa pela intervenção de Rosier. Para um Aprendiz que frequentava a sua primeira reunião, ele estava a ser demasiado atrevido. “O Dumbledore consegue detectar Magia Negra desde que passe por um sítio onde ela foi executada.”
 
“Então e se nós fizermos os nossos treinos num sítio por onde ele não passa?” Questionou novamente Rosier, e a esta altura todas as cabeças se tinham voltado para ele, curiosas.
 
“Qual é a probabilidade desse sítio existir dentro de Hogwarts?” Riu-se arrogantemente Nerissa, secretamente receando o que Rosier pudesse propor a seguir.
 
“Eu estou a falar num lugar fora de Hogwarts.” A voz de Rosier pareceu ecoar nas paredes da Sala Comum. Os ânimos alteraram-se de imediato, um entusiasmo crescente tomou conta dos Aprendizes, no entanto, Nerissa, Severus, Andromeda e Regulus mantiveram-se imunes… Rosier tinha um plano.
 
“Fora de Hogwarts…?” Repetiu Nerissa, que apesar de manter a sua fachada impenetrável, estava assustada com o rumo em que aquela proposta os iria conduzir.
 
“Amanhã temos licença para sair de Hogwarts… Estamos todos inscritos no passeio a Hogsmeade, ou não?” A esta pergunta de Rosier, todos acenaram afirmativamente, pelo que ele continuou, “Então eu conheço o lugar ideal para o nosso primeiro treino deste ano… A Cabana dos Gritos!”
 
“A Cabana dos Gritos…” Repetiu Severus num murmúrio que só Nerissa ouviu. O olhar dele parecia intrigado com o local que havia sido proposto, no entanto a jovem não teve tempo para lhe perguntar nada em segredo porque Rosier continuava a falar, muito seguro da sua ideia:
 
“Não será uma solução definitiva, porque precisaríamos de ter treinos com uma frequência maior do que temos as visitas a Hogsmeade… Mas enquanto não recebermos a resposta do Senhor das Trevas, acho que seria uma boa opção para o primeiro treino.”
 
Esta solução parecia agradar a todos, Bellatrix, Rodolphus e Rabastan eram aqueles que demonstravam mais entusiasmo, sorrindo e murmurando animados. Rosier por seu lado, estava bastante orgulhoso de si mesmo. Parecia convencido de que tinha conseguido ganhar respeito e consideração por se destacar tão positivamente logo na sua primeira reunião. Achava que estava a conseguir impressionar Nerissa, a líder dos Aprendizes…
 
“E onde fica essa cabana, Rosier?” Perguntou Nerissa tão friamente e com tanta falta de entusiasmo, que o jovem pareceu perder a sua postura orgulhosa, baixando a sua cabeça e franzindo as suas sobrancelhas em sinal de desagrado.
 
“Fica a meia a hora a pé dos portões de Hogwarts…” Respondeu ele secamente, “Mesmo à saída de Hogsmeade há um trilho meio escondido que conduz à cabana, muito pouca gente a conhece.”
 
“Qual é a probabilidade de sermos interrompidos por outros estudantes, feiticeiros, ou até muggles, enquanto lá estivermos?” Tornou a perguntar Nerissa, no mesmo tom.
 
“Eu diria que é quase nenhuma…” A frustração de Rosier era agora bastante visível, mas os outros Aprendizes não estavam minimamente preocupados com isso, “A Cabana dos Gritos tem a fama de estar assombrada, ninguém se aproxima demasiado dela.”
 
Não deixando sequer Rosier retomar o seu fôlego, Nerissa olhou para todos os Aprendizes, e depois pousou os seus olhos em Severus, “Alguém tem algo contra esta ideia?”
 
A jovem viu o olhar de Severus vacilar… Nerissa percebeu que ele estava confuso, incerto do que dizer. Mas como não se pronunciou, e simplesmente encolheu os ombros e abanou a cabeça, Nerissa foi obrigada a ouvir as opiniões dos outros.
 
Todos os outros pareciam satisfeitos e entusiasmados com a ideia, murmurando animadamente, mas somente Rodolphus se expressou, no seu tom bruto tão característico, “Eu concordo com qualquer ideia que nos ajude a marcar um treino o mais depressa possível.”
 
Como ninguém se opôs, Nerissa teve de aceitar aquela opção de Rosier e arriscar um primeiro treino em terreno desconhecido. Caso contrário ela sabia que os ânimos se exaltariam e que a situação sairia fora do seu controlo.
 
Para manter a liderança dos Aprendizes, e continuar a receber o pouco respeito que estes tinham para lhe dar, tinha de aceitar a vontade da maioria, “Então, amanhã às dez horas saímos de Hogwarts aos pares ou individualmente, para não dar muito nas vistas, e encontramo-nos na Cabana dos Gritos às dez e meia.”
 
Todos jubilaram, mas foi mais uma vez Bellatrix quem o fez com mais veemência, rindo estridentemente enquanto se abraçava ao pescoço de um Rodolphus atrapalho e enfurecido, “Ai, que bom! Já amanhã de manhã, eu nem acredito!”
 
“Agora é melhor irem-se deitar… Não queremos chamar as atenções de ninguém.” O conselho de Nerissa, que mais soou a uma ordem, foi seguido por todos, que imitaram o gesto da sua líder que se erguia agora do seu lugar. “Tenham uma boa noite.”
 
Todos seguiram para os respectivos dormitórios trocando algumas palavras de entusiasmo entre si, excepto Severus, que tinha ficado para trás com Nerissa, como faziam sempre, e Regulus e Andromeda, que seguiam juntos na cauda do grupo, trocando olhares cúmplices.
 
Ao ver a amiga, Nerissa deu-se conta que tinha de falar com ela… tinha de repetir a conversa que havia tido com ela no ano anterior o mais depressa possível. Afinal a situação estava prestes a mudar, Voldemort estava a regressar.
 
“Andromeda, gostava de te dizer umas palavras…” Chamou discretamente Nerissa, de modo que só Regulus se apercebesse.
 
A jovem de cabelos cor de chocolate despediu-se do seu pequeno primo, e voltou atrás, atrevendo-se apenas a falar só quando ficou sozinha na Sala Comum com Nerissa e Severus.
 
“Passa-se mais alguma coisa, Nerissa?” Perguntou Andromeda um pouco assustada.
 
Sem rodeios, Nerissa admitiu gravemente, “O Senhor das Trevas também me disse na carta que me enviou estava manhã que estava a regressar para Inglaterra… Ele vai chegar muito em breve, Andromeda.”
 
“Oh não…” Gaguejou a outra, ao ser tomada pelo nervosismo, “Tu achas que ele…?”
 
“Eu acho que tens de tomar alguma medida.” Disse-lhe devagar Nerissa, segurando o rosto da amiga entre as suas mãos, procurando acalmá-la, “Não podes continuar connosco, namorando com o Tonks ao mesmo tempo. As tuas irmãs já sabem do que existe entre vocês e só não espalham a notícia porque têm vergonha que seja com um filho de muggles. Mas tu sabes como a Bellatrix é… Ela pode se entusiasmar e a palavra pode chegar aos ouvidos do Senhor das Trevas… Ele não ia ter piedade a castigar-vos, Andromeda.”
 
Após um longo momento em que Andromeda manteve o silêncio e o seu olhar fixo nos sapatos Nerissa, a jovem falou. O seu olhar era agora triste e muito sincero, “Eu e o Ted não nos vamos separar. Eu amo-o, e ele ama-me a mim… Não vou abdicar dele.”
 
Nerissa abriu a sua boca para falar, chocada por ouvir Andromeda dizer algo que ela própria havia dito naquela mesma tarde, mas a amiga cortou-lhe a palavra, falando mais depressa, “Eu e ele estamos no sétimo ano, Nerissa. Assim que sairmos de Hogwarts eu vou contar tudo aos meus pais, vou sair da minha casa e vou fugir do Senhor das Trevas. A família do Ted já me ofereceu casa durante uns tempos. Vai ser só até arranjarmos um emprego e podermos pagar a nossa própria casa… Eu e o Ted vamo-nos casar.”
 
Os olhos de Nerissa encheram-se de lágrimas. Queria ter coragem para fazer tudo o que Andromeda estava prestes a fazer, queria poder ter essa margem de manobra, mas não conseguia arriscar sabendo que seria Severus a pagar por isso.
 
Nerissa queria conseguir desabafar tudo com a amiga, dizer-lhe que compreendia exactamente aquilo que ela estava a sentir… Mas não conseguiu suspirar mais do que um emocionado, “Oh, Andromeda…”
 
“Eu sei que tu me compreendes, Nerissa.” Sorriu-lhe Andromeda, agora também extremamente emocionada, Eu agora estou em Hogwarts com as minhas irmãs, não posso fazer nada, elas estão a ver-me… Só posso tomar uma atitude quando sair daqui.”
 
“Tens a certeza que não queres agir antes, para tua protecção e do Tonks?” Perguntou-lhe Nerissa uma última vez. Não queria insistir muito mais, sabia que não valia a pena tentar mudar a decisão que Andromeda já tinha tomado. Nisso as duas jovens eram iguaizinhas, estavam dispostas a fazer tudo para poderem estar e proteger aquele que mais amam.
 
“Não há outra maneira, Nerissa. Eu queria não ter de fugir. Eu queria que os meus pais me compreendessem, não queria ter de lhes mentir ou fugir deles… Não queria que eles tivessem vergonha de mim. Mas eu não vou abdicar do Ted, ele foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida.” A voz de Andromeda começou a falhar, e a jovem não conseguiu mesmo conter uma lágrima ao admitir. “Graças a ele, eu não sou como o resto da minha família.”
 
Não conseguindo adiar mais, Nerissa envolveu Andromeda num abraço apertado, procurando transmitir-lhe forças e coragem… mostrando num gesto que a compreendia e que estava ali, para apoiá-la.
 
Quando as duas se separam, Nerissa ainda lhe perguntou, “Há alguma coisa que eu possa fazer por ti, Andromeda?”
 
A jovem soltou um súbito sorriso, e agradecendo com o olhar, respondeu, “Deseja-me sorte, para que tudo corra como planeado.”
 
As duas despediram-se, desejando força uma à outra para tudo o que tinham de enfrentar, e depois Andromeda seguiu para o dormitório feminino, enquanto que Nerissa permaneceu na Sala Comum, regressando para junto de Severus, o único ocupante da sala para além dela mesma.
 
“Eu e a Andromeda somos ainda mais parecidas do que ela pensa…” Desabafou Nerissa com o jovem, mas ele estava tão absorto nos seus pensamentos que a assustou, “Que se passa, Severus?”
 
Sem tirar os olhos de um ponto indefinido no fundo da Sala, Severus partilhou o que o perturbava com Nerissa, “A Cabana dos Gritos… Não é a primeira vez que oiço falar dela.”
 
Admirada pelo assunto no qual o jovem havia ficado preso, Nerissa começou a preocupar-se, “A Cabana não é um bom sítio para nós? Sabes mais alguma coisa que o Rosier?”
 
“Acho que sim, mas não me consigo lembrar, por mais que tente...” A concentração de Severus era visível numa jovem ruga que parecia querer surgir entre as suas sobrancelhas, tal era a força com que ele as franzia, “Eu podia jurar que já ouvi estudantes a falar dessa cabana aqui na escola.”
 
“Achas que não estamos seguros, Severus? Achas que mais alguém a frequenta?” Nerissa tinha a aflição na sua voz. Não podia arriscar realizar um treino num sítio frequentado por outros estudantes, deitaria tudo a perder…
 
Ao focar o rosto da jovem pela primeira vez durante aquela conversa, Severus apercebeu-se que estava provavelmente a levantar uma tempestade num copo de água, e preferiu tomar Nerissa em seus braços, como havia desejado fazer durante toda aquela noite.
 
Com um sorriso maroto no seu rosto, roubou um beijo à jovem, que esqueceu todas as suas preocupações no mesmo momento. E depois disse-lhe, ainda sorrindo, “Eu não sou nenhum vidente, menina Nerissa Gaunt… Mas suponho que não haja problema.”
 
* * *

Continua...

Demorou, mas foi! Lamento que tenha sido só a estas horas tardias da noite, mas foi o que se arranjou :x Depois de dias e dias sem um capitulo, têm aqui um over-sised para compesar. Espero honestamente que gostem, porque eu tenho perfeita noção que a qualidade decresceu um bom bocado desde o capitulo anterior... mas foi mesmo um esforço enorme para mim escrevê-lo. Quando o coração sofre a cabeça é que paga, basicamente -.- Mais uma vez desculpem.

 

A todas as que me deram apoio no meu blog pessoal só tenho a agradecer pelas vossas palavras, acreditem que fizeram a diferença. Mas eu ainda vou passar pelos vossos blogs a agradecer e dar uma palavinha especial a cada uma de vocês. Muito Obrigada por Tudo!

 

Loads of Kisses to All of You!

Pê-Ésse: danielinh, Sê benvinda ao blog! Antes de mais queria agradecer-te pelos teus comentários sinceros e por estares a acompanhar a Fic! Claro que podes manter o meu blog nos teus links, até agradeço x) 

 

sinto-me: Sou uma fraca...
música: Yeah Yeah Yeahs - Runaway

publicado por Dreamer às 22:16

link do post | comentar | favorito

19 comentários:
De Joanne a 26 de Agosto de 2009 às 01:25
Eu adoro a Andromeda! Acho simplesmente linda a história dela e do Tonks, e a coragem que ela tem para enfrentar assim a família. A história deles poderia ter sido mesmo esta, na verdadeira saga, fazia todo o sentido ^^ 
Fiquei curiosa a cerca da cabana dos gritos, o Severus vai descobrir algo ainda.
Ah, e o capítulo não diminuiu na qualidade não senhor, esta tão bom ou melhor que os outros.
E vamos a animar esse coraçãozinho Dreamer, todos queremos ver-te animadinha! ^^ (eu li os teus posts no blog pessoal, mas eu não sou a pessoa indicada para dar conselhos sobre esse assunto, por isso só posso desejar, muito honestamente, que tudo se resolva ^^)
Beijinho *


De KellysPimenta a 26 de Agosto de 2009 às 01:49

ola querida

eu amo esta fic e o que mais gosto sao dos capituloes enormes
xd
a historia de andromeda e do ted e tao linda e forte

acho qu eels irem para a cabana dos gritos nao e boa ideia mas pronto

beijinhos fica bem


De . a 26 de Agosto de 2009 às 10:31
Está lindo!
Adorei este mega capítulo!
A sério está lindo!
OME! Não sei porquê, mas tenho uma ligeira ideia de parte do que acontecerá no próximo capítulo...
É melhor não dizer para o caso de haver alguém que não tenha tido a mesma ideia que eu... :)

Adorei mesmo

Ah, vou agora fazer a tua recompensa :)

Kiss's 2 u

Girl in the mirror


De x Puky a 26 de Agosto de 2009 às 11:50
QUe diminuição de qualidade, qual quê!
Esta história é maravilhosa (:


Força, Andromeda :D


De Sássára a 26 de Agosto de 2009 às 15:16
A conversa entre ela e a Andromeda fez-me lembrar nós as duas ao telemóvel x) Por isso, quase que desatei a chorar. Mas pronto!
Linda, todos os capítulos que tu escreves são espectaculares *.*
Man, eu odeio a Bellatrix nesta fic XD Eu até gosto dela nos filmes, mas aqui odeio-a, é tão otária, LOOOL.
Fiquei curiosa por causa da Cabana dos Gritos :o
 
Amo-te <3


De Magda* a 26 de Agosto de 2009 às 23:51

Está muito bom!
Que haverá na Cabana dos Gritos?? De certeza de que o que o Snape sabe é mau...
Admiro a Andromeda... Corajosa!! Espero que lhe corra tudo bem!!

Cada vez gosto mais desta fic...:D
Beijinho*


De Maria a 27 de Agosto de 2009 às 14:09
Hi sweety! x)

Não sei porquê, mas tenho receio que alguma coisa aconteça durante o treino deles na Cabana dos Gritos!  [deve ser só impressão minha :P]

Admiro imenso a força de Andromeda, é muito corajosa e apaixonada! Espero que tudo corra como ela prevê! :D

Quero mais, sim querida?
Beijocas muito grandes, dear!
:D


De Prongs a 28 de Agosto de 2009 às 14:23
Retiro o que disse: a Bellatrix está-me a assustar OO
está awesome como sempre :D

beijinhos ^^


De NeziiWeasley™ a 28 de Agosto de 2009 às 17:38
Eu adorei este capítulo!
Está mesmo espectacular. Eu estava cá com uma vontade de fazer um comentário todo "xpto", mas a cabeça não dá para mais --'
Continua! Acho que se esgotaram as ideias xD
xoxo


De Miss Blody a 1 de Setembro de 2009 às 21:41
Lindo!

Tou á espera de mais.

Mordidelas Sangrentas


Comentar post

Dreamer @ 23-02-2009
Photobucket
online

.Dreamer

.links

.Maio 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

23
24
25
26
28

29
30
31


.tags

. todas as tags

free counters

.arquivos

. Maio 2011

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

.subscrever feeds